» Home
» Busca (notícias)
06/09/2018 - Fredrik Hermansson – SAFETY4SEA – OPINIONS 28/08/18

6 Tendências globais na indústria do transporte marítimo de contêineres

Tradução livre

Fredrik Hermansson, diretor administrativo da Greencarrier Liner Agency Sweden, tenta identificar as tendências globais que afetarão a indústria do transporte marítimo. Ou seja, ele enumera 6 tendências gerais, compartilhando sua previsão sobre oferta e demanda futuras, portos e fusão de mercados, entre outros.

Em um mundo em constante movimento, não podemos ter certeza do que o futuro nos reserva. Eu identifiquei algumas tendências globais no setor de transporte de contêineres e, neste artigo do blog, compartilharei alguns desses conhecimentos com você, focando em seis tendências gerais do setor de transporte marítimo.

1. Oferta & Demanda no setor de transporte de contêineres

Nós experimentamos uma situação de mercado difícil durante alguns anos, quando as operadoras investiram na construção de grandes navios de contêiner e o desenvolvimento avançou na direção de mais cooperação e alianças entre operadoras para suas próprias sobrevivências. Hoje, há uma demanda mais forte e uma disponibilidade mais apertada de tonelagem, o que está colocando um freio no desmanche de navios. Os volumes de carga estão aumentando em 4/4,5% em comparação com a frota de navios contêineros que está crescendo 3,9% ao ano. Portanto, agora enfrentamos uma tendência positiva em direção a um mercado mais equilibrado entre oferta e demanda no segmento de contêineres.

Nós enfrentamos uma evolução positiva quando olhamos para embarcações ociosas. No início de 2018, a frota global de contêineros ociosos tinha 65 embarcações ancoradas, uma capacidade total de 191.000 TEUs, em comparação com 330 embarcações com capacidade total de 1,36 milhões de TEUs em 2015.

2. Utilização de portos

As embarcações estão ficando maiores e hoje transportam mais de 20 mil TEUs. Isso coloca uma pressão maior nos portos e operadores de terminais. Em alguns portos isso resulta em conflitos e congestionamentos e levanta várias questões operacionais. Estamos longe de todos os portos serem feitos para os navios gigantes, eles não têm um projeto adequado para os navios entrarem nos portos, ao mesmo tempo em que não têm capacidade suficiente para lidar com a carga de maneira eficiente.

Minha opinião é que, no futuro, os transportadores precisam de portos mais amplos, a fim de tornar o fluxo de carga mais suave e evitar congestionamentos. Há também um risco de apenas alguns grandes portos controlarem os fluxos logísticos. Operadores de terminal único que podem apenas encontrar interesse em uma ou duas alianças não levam a nenhuma diversidade na indústria e não beneficiam os clientes, as operadoras ou uma concorrência de mercado aberto.

3. Novas fusões de mercados

O futuro ainda mostra um potencial de crescimento na indústria de contêineres. A China continuará a ser um mercado importante, mas também vemos que o crescimento vem de outras regiões com maior demanda por produtos em contêineres. Por exemplo a Nigéria; hoje eles têm uma população de 174 milhões de pessoas e espera-se que sejam 440 milhões de pessoas em 2050. Imaginem que grandes demandas eles terão para o comércio mundial!

4. Crescimento da contêinerização

Outra tendência é que as indústrias estão adaptando suas cargas ao método de transporte de contêineres - a contêinerização. Por exemplo, a indústria de papel adaptou sua carga ao método de remessa por contêineres ajustando o tamanho dos rolos de papel para acomodar nos contêineres. Hoje, na Suécia, 1,5 milhão de TEUs com commodities de todos os tipos são enviados para importação e exportação, e há um potencial adicional para transportar mais 1 milhão de TEUs com mais commodities, como papel e madeira. Ao usar um contêiner, o conceito porta a porta pode ser mais eficiente. A carga pode ser transportada diretamente da fábrica para o destinatário, ou mesmo diretamente para o consumidor, para torná-lo mais eficiente e reduzir o risco de danos.

Aumento de commodities, malte, turfa, fertilizantes e madeira.

De uma forma geral, há um crescimento do comércio mundial e alguns chegam a prever que, na próxima década, 90% da carga global geral será embarcada em contêineres. Commodities como malte, musgo de turfa, fertilizantes, madeira, sucata e produtos residuais são agora contêinerizados em maior escala.

5. Foco na sustentabilidade e meio ambiente na indústria do transporte marítimo

Há uma tendência contínua na indústria do transporte marítimo para se concentrar na sustentabilidade e nas questões ambientais que afetam a indústria e nossa sociedade. A indústria está investindo em tecnologia para reduzir o impacto no meio ambiente e o transporte marítimo é o método mais ecológico de transporte atualmente. As transportadoras precisam seguir novas regulamentações e ajustar seus navios de acordo. Isso afeta os custos para as operadoras, enquanto, ao mesmo tempo, todas as partes da cadeia logística estão dispostas a trabalhar com empresas que ofereçam soluções de transporte sustentáveis e boas condições de trabalho.

6. A batalha dos clientes e novas tecnologias

Estamos no berço de uma revolução técnica em que todos em toda a cadeia logística - do produtor ao destinatário - investe e desenvolve novos sistemas para obter maior eficiência. A tecnologia Blockchain (protocolo de confiança) está avançando e introduzirá novas oportunidades de inovação, mesmo na indústria do transporte marítimo. A batalha pelos clientes será determinada pela tecnologia no final. Acredito que há necessidade de uma plataforma comum e mais transparência em toda a cadeia logística, desde o produtor até o destinatário, com a ambição de desenvolver processos e compartilhar tecnologia de TI comum.

Sobre o Fredrik Hermansson

Fredrik Hermansson é o diretor administrativo da Greencarrier Liner Agency Sweden. A Greencarrier é uma empresa privada independente que oferece soluções de logística e transporte. Seu mercado são os países nórdicos e bálticos, com soluções de transporte com foco na Europa Oriental, Ásia Central e China.





 



Copyright © Syndarma, 2010.

 

Rua Visconde de Inhaúma, 134 - Grupo 1005 • Centro - Rio de Janeiro - RJ • Brasil - CEP: 20091-901 • Tel: (21) 3232.5600 • Fax: (21) 3232.5619 • e-mail: syndarma@syndarma.org.br

Produzido por Themaz Comunicação.