» Home
» Busca (notícias)
05/05/2016 - Intermodal Organização de Eventos

Intermodal South America

São Paulo, 11 de abril de 2016.

Cenário positivo de negócios impulsiona os segmentos de logística, transporte de cargas e comércio exterior a superar a crise

*22ª edição da Intermodal South America reuniu 600 marcas expositoras de 25 países, em grande parte executivos com poder de decisão de compra

*Só nos últimos cinco meses autorizamos R$ 8 bilhões em investimentos para os portos”, afirmou o ministro-chefe da Secretaria de Portos, Helder Barbalho

*Empresas  apostam em soluções inovadoras para aquecer e conquistar o mercado e fecham novos negócios durante a feira

O país pode contar com as empresas do segmento de logística, transporte de cargas e comércio exterior para superar o ambiente de crise. Imersos em um ambiente onde esta palavra é trocada por outras tais como investimentos, negócios e proatividade, as cadeias produtivas destes setores deram, durante a 22ª Intermodal South America, uma demonstração de que é possível retomar com mais celeridade o círculo virtuoso de crescimento. O evento reuniu, entre os dias 5 e 7 de abril, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, 600 marcas expositoras de 25 países, em grande parte executivos com poder de decisão de compra.

“Esta 22ª edição  da Intermodal contribuiu para que as empresas pudessem ter a certeza de que um ambiente de crise pode ser superado com mais investimentos e ousadia. A capacidade de recuperação destes setores é notável e a nossa missão é de justamente fomentar e ampliar o sucesso dos negócios dos nossos expositores, promovendo o encontro de interesses e discussões sobre temas essenciais para o desenvolvimento do mercado no país e na América Latina”, afirmou Jean-François Quentin, presidente da UBM Brazil, que promove a feira.

O ministro-chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho, participou da cerimônia de abertura e traçou um panorama promissor. “Eu sou otimista. O país não vive a primeira e nem a última de suas crises. Vamos superar os obstáculos o quanto antes para vivermos novamente uma rodada de perspectivas positivas. Só nos últimos cinco meses autorizamos R$ 8 bilhões em investimentos para os portos”, observou.

Helder Barbalho destacou que a Intermodal South America mostra o protagonismo do país  no setor na América Latina e revela o potencial das empresas brasileiras: “O Plano Nacional de Logística Portuária (PNLP) projeta um aumento de 103% na demanda dos portos brasileiros até 2042. Na Intermodal é possível encontrar um segmento forte e com força para superar os desafios e atender está grande demanda prevista”.

O presidente da Frente Parlamentar de Transporte, Logística e Armazenagem, senador Wellington Fagundes (PR-MT), foi pelo mesmo caminho: “Mesmo com um ambiente de crise, vejo na Intermodal South America empresas sempre buscando alternativas para crescer, fazer negócios e investimentos. A feira é o momento ideal para as oportunidades aparecerem. Além disso, precisamos encontrar saídas para superar obstáculos como a burocracia”.

O diretor geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Fernando Fonseca, frisa que a “Intermodal South America é uma oportunidade única onde se iniciam negócios fundamentais para o escoamento das nossas riquezas. Parabenizo a organização da UBM Brazil, por mais esta ediçao”. João Marcio Jordão, presidente em exercício da Infraero, também celebra a participação da empresa na feira. “É uma satisfação para a Infraero participar do maior evento de logística da América Latina. Administramos 60 aeroportos e 25 terminais de logística. Buscamos na feira investidores para participarem de projetos que ampliem a capacidade dos nossos complexos aeroportuários”, disse.

Expositores apostam em soluções inovadoras

Os expositores da 22ª edição da Intermodal South America estão apostando em soluções inovadoras para aquecer e conquistar o mercado. A Kuehne + Nagel destacou o KN PharmaChain - uma solução especializada que foi desenvolvida para atender a indústria farmacêutica de ponta a ponta.

“Hoje a Kuehne + Nagel é referência na prestação de serviços para a indústria deste segmento, além do nosso constante foco no cliente, investimos em todas as licenças necessárias para estarmos aptos a realizar o manuseio dos produtos farmacêuticos como, por exemplo, a certificação GXP, conquistada recentemente e fruto da nossa dedicação, disciplina e foco”, afirmou Eduardo Razuck, Diretor Presidente da Kuehne + Nagel Brasil.

E completou: “A Intermodal é um ótimo momento para fortalecer nossos contatos comerciais, além de gerar novas possibilidades de negócios para a Kuehne + Nagel em todos os setores nos quais atuamos”.

A CEVA Logistics divulgou o portfólio de serviços com cobertura em todas as etapas da cadeia logística. “A Intermodal contribui significativamente para a contínua exposição da marca CEVA e é ideal para manter a conexão com clientes do mundo todo, além de realizar contatos diversos com parceiros atuais e prospects”, afirmou Fábio Mendunekas, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da CEVA Logistics na América do Sul.
 
Na Intermodal, a CEVA divulgou, ainda, a abertura de novas filiais localizadas no Rio de Janeiro e Belo Horizonte (MG), além da nova sede no Brasil, em São Paulo. A empresa também apresenta o seu Centro de Excelência Logística, o primeiro na América do Sul. Trata-se de uma área dedicada onde os clientes atuais e potenciais poderão experimentar, em primeira mão, as ferramentas e metodologias que a companhia aplica para otimizar as cadeias de suprimentos e criar vantagem competitiva.

Cargas A Panalpina apresentou na Intermodal South America, por exemplo, o novo serviço marítimo de cargas fracionadas entre Santos e Medelin, na Colômbia. O serviço é semanal, saindo do Porto de Santos às sextas-feiras, com escala no porto de Cartagena  e atracando em Medelín com transit time de 20 dias.

“De Santos até Cartagena são 13 dias e entre Cartagena e Medelín, sete dias”, explicou o diretor de Vendas e Marketing, Gustavo Paschoa. O tempo de deslocamento é muito inferior ao comparado com soluções que envolvem o deslocamento via terrestre entre Cartagena e Medelín. Outro diferencial do serviço apresentado na Intermodal é que a Panalpina disponibiliza a operação de armazenagem para os seus clientes na origem e no destino.

Já o GRU Airport Cargo - Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de São Paulo apresentou o “Programa de Incentivos GRU”, que prevê isenção de 100% na tarifa de pouso para novos voos cargueiros internacionais, exclusivamente. A promoção vale até 25 de março de 2017. “A atração de novos voos cargueiros visa oferecer aos clientes que já operam no aeroporto uma solução completa em sua logística, pois há diversos tipos de carga cujo transporte está limitado a aviões exclusivamente cargueiros”, explica o diretor Comercial de Negócios Aéreos e de Cargas do GRU Airport, Marcus Santarém.

Empresas fecham grandes negócios durante a feira

Um exemplo de sucesso da Intermodal South America é da Kalmar, fornecedora de soluções e serviços de movimentação de cargas para portos, terminais, centros de distribuição e indústria pesada, que anunciou, durante a feira, o fechamento da venda de uma Empilhadeira para o TESC (Terminal Portuário de Santa Catarina). Segundo o gerente de Manutenção do TESC, Guilherme Smolka, "a aquisição se deu pela ampliação da frota do Terminal e visa consolidar o perfil multiuso do TESC".

Essa não é a primeira vez que a Kalmar anuncia a concretização de um grande negócio durante a Intermodal South America. Questionado sobre o sucesso dos negócios durante o evento, o gerente Comercial da Kalmar, Alexandre Esse, afirmou que "muitas vezes prospectamos, conversamos e negociamos à distância, mas o fechamento desse tipo de transação precisa ser presencial, olho no olho. São empresas de grande porte e é difícil conciliar a agenda dos executivos dessas organizações. A feira nos permite ter os decisores de todo o mercado em um mesmo local por um período considerável de tempo. Isso com certeza facilita na hora de fechar os principais negócios e contratos".

Estreante na Intermodal South America, a operadora Supersonic Logística já renovou a participação na próxima edição da feira. “Estamos impressionados com o volume e qualidade da visitação que tivemos.  Recebemos 60 visitas de clientes potenciais”, disse o gerente de Marketing, Antonio  Carlos.

O diretor comercial da empresa, Cazuza Ferreira, revelou que a empresa fechou na Intermodal um contrato com a Philips Lights no valor de R$ 1,8 milhão para a distribuição nacional de todos os produtos da empresa localizados em Jundiaí. “Temos um potencial de resultados impressionante gerado em apenas três dias de evento. Nossa participação na Intermodal superou todas as expectativas”, finalizou.

O ambiente positivo para os negócios aumentou o otimismo das empresas. Operadora no setor do agronegócio, a Salvador Logística participou pela primeira vez da feira e teve suas expectativas superadas. “Fizemos excelentes contatos, que podem se transformar em negócios, e pudemos expor nossos investimentos futuros. Chamou atenção, também, a qualidade do perfil dos visitantes, formado, em grande parte, por executivos”. destacou o diretor comercial da companhia, Marcelo Grimaldi.

“O evento é muito importante para fazermos relacionamento, para encontrar com os principais players do mercado, que geram negócios no futuro. De uma forma geral, atingimos nossos objetivos, sem dúvida”, destacou Flávia Rietmann, diretora de Comunicação e Sustentabilidade da Wilson Sons.

O gerente Corporativo de Logística do Grupo Protege, José Raul Baptista, percebeu um movimento de público até maior do que no ano passado. “Tivemos a oportunidade de prospectar novos negócios. Somente nesta edição iniciamos negociações com três possíveis clientes, que são empresas que também são expositoras.  É um evento muito importante para a empresa e com certeza voltaremos nos próximos anos”, disse.

“Acredito que atingimos nossas expectativas na Intermodal 2016”, ressaltou Elizabeth Pinto, National Sales Manager da DHL Logística. “Recebemos muitos clientes nos três dias de feira e tivemos a oportunidade de nos reunir com parceiros e fornecedores também. Enfim, é uma grande interação dentro do mundo logístico. Além disso, concretizamos negócios no evento e conseguimos fazer prospecções de novas oportunidades”.

Para Marcelo Alessandro Vitorino, diretor Comercial da Localfrio Logística, o balanço dessa edição da Intermodal é, assim como nos últimos anos, positivo. “Fizemos ações de relacionamento muito importantes e também tivemos a oportunidade de gerar novos negócios”.

Seminários apontam soluções para o desenvolvimento do país

A 22ª edição da Intermodal South America contou com uma programação paralela de seminários voltada para o cenário político econômico, intralogística e innovative supply chain. Os encontros discutiram os principais desafios do cenário multimodal brasileiro e o panorama dos investimentos públicos e privados. O economista chefe do Banco do Brasil, Élcio Gomes Rocha, afirmou que o país deve projetar o seu futuro com base no aumento de investimentos. “Não dá mais para incentivar um novo ciclo de crescimento com base no consumo. Hoje investimos apenas 2% em média do PIB em infraestrutura. Com isto, o país é o 120° colocado no ranking global do setor”, destacou.

Rocha disse que o BB fez estudo de qual seria o impacto se os investimentos ocupasse 3% e 4% do PIB. “Na primeira alternativa alavancaria o crescimento econômico em 1.2 pontos percentuais em 2020 e, na segunda, em 2.4 pontos percentuais”, explicou. Segundo o economista chefe do BB, para ampliar para 4% o índice de infraestrutura no PIB, por exemplo, seria necessário um fluxo de R$ 118 bilhões em investimentos. “Com estabilidade nas regras e política econômica, poderíamos buscar este capital no mercado internacional”, completou.

O gerente de Infraestrutura Logística da Infraero, Carlos Magno Leite, destacou que uma das metas estratégicas atuais da empresa é fomentar a expansão de centros logísticos aeroportuários. “Cerca de 61% dos voos internacionais de cargas estão em Cumbica, Viracopos e Galeão. Temos, portanto, um grande potencial de crescimento”, disse.

Magno ainda apresentou outro dado: aproximadamente 68% dos condomínios logísticos estão no Sudeste. “Precisamos investir na descentralização. O projeto do Aeroporto de Uberlândia é o grande piloto de projeto de expansão de centros logísticos. Projetos semelhantes serão realizados em Recife, Manaus Uruguaiana”, detalhou. A empresa quer atrair, também, a iniciativa privada. “Queremos atrair investidores e para isso estamos estudando novos modelos de negócios para tornar ainda mais promissor”, completou o gerente de Infraestrutura Logística da empresa.

A “Terceirização das Operações Logísticas” foi tema do Seminário Intralogística. “Muitas empresas tem percebido o quanto é importante incluir o terceiro no seu negócio, para auxiliar no desenvolvimento do mesmo. O Supply Chain é essencial para alcançar o crescimento, traz benefícios como o aumento de market share da empresa, a melhora no processo de atendimento ao cliente, minimiza os riscos, maximiza os resultados, aumenta a produtividade, entre outros”, afirmou Maurício Almeida, diretor de Operações da DHL Supply Chain.

Para ele, é sempre necessário levar em conta algumas palavras-chave quando o assunto é terceirizar: infraestrutura, processos estabelecidos, qualidade da força de trabalho, abrangência de soluções, criatividade e inovação. “Quando pensamos em terceirização temos que pensar em uma revisão completa na operação do cliente, como os custos, as malhas de centros de distribuição, entre outros fatores”, destacou.

Para Antônio Rezende, da Divisão de Logística da IMAM Consultoria, do ponto de vista do contratante há apenas dois tipos de terceirização: a bem sucedida e a mal sucedida. “Para terceirizar, em primeiro lugar, a empresa precisa entender o próprio negócio para que possa obter melhores níveis de desempenho. É necessário analisar diversos fatores, como por exemplo, se tem capital necessário ou se vale a pena gerenciar o processo”, explica.

Ele apontou, ainda, as principais razões lógicas para se terceirizar um serviço são: redução de custos logísticos, melhorar o atendimento aos clientes, dispor de novos canais de distribuição, melhorar controles e poder se dedicar mais ao próprio negócio.

Público qualificado aponta excelência dos expositores

“Somos agentes de cargas e aqui, na Intermodal South America, encontramos reunidas todas as principais empresas da cadeia produtiva. É o lugar ideal para ver as novidades dos nossos parceiros e fazer contatos para futuros negócios com os expositores de qualidade que a feira sempre reúne”, disse a general manager da NR Logística Internacional, Camisa Cosensa. Este depoimento reflete a opinião de outros visitantes que também estiveram na Intermodal South America.

Rosana Alpheis, gerente da 20Cube do Brasil Logística, faz da feira uma ferramenta para otimizar a acelerar o fechamento de novos negócios. “Em um só dia agendei seis reuniões com expositores da Intermodal. O evento consegue ser abrangente, atraindo os principais players de toda a cadeia, o que nos permite programar encontros e, ao mesmo tempo, conhecer as novidades dos setores”, ressaltou.

A diretora da Seawolf Cargo da Argentina, Cecília Aguerre, observou que sempre marca presença na Intermodal South América: “Aqui tenho panorama de como está o mercado na América Latina e me conecto com as principais empresas do setor. Quem atua e quer ser competitivo nos segmentos portuário e de logística precisa estar aqui”. Pensamento semelhante tem o presidente da Detroit Retífica de Motores, João Luiz Ferreira. “A feira está sempre muito bem organizada e com muitas possibilidades de negócios”, frisou.

“A feira está bem mais movimentada este ano. E esse não é só o meu sentimento, é algo que conversei com outras pessoas aqui e a impressão deles é a mesma. Acredito que o momento econômico faz com que nós (empresas do setor) busquemos todas as oportunidades possíveis para novos negócios e parcerias. A Intermodal é o local perfeito para encontrar este tipo de oportunidade”, declarou a diretora da Carvalhão Transportes, Miriam Carvalho. "Eu visito a feira todos os anos em busca de oportunidades e já consegui fechar muitos negócios que foram iniciados aqui. Com certeza a Intermodal é um local tanto para networking quanto para gerar negócios mesmo".

"Eu venho na Intermodal há muitos anos e sempre encontro boas oportunidades de negócio para a CCONMED, que é uma empresa de consultoria. Em anos anteriores, muita coisa que foi prospectada na feira acabou virando negócio, parcerias. Creio que neste ano não será diferente, tive muitas conversas boas, reuniões que abriram portas em excelentes prospects", afirmou Alexsandro Amorim, consultor/auditor da CCONMED Consultoria.

23ª Intermodal South America acontece entre os dias 4 e 6 de abril de 2017

A 23ª Intermodal South America acontece entre os dias 4 e 6 de abril de 2017, no Transamerica Expo Center, em São Paulo

Sobre a Intermodal South America - www.intermodal.com.br
A Intermodal South America é o maior evento das Américas direcionado para os setores de  transporte de cargas, logística e comércio exterior. Realizada há mais de 20 anos, a feira é considerada uma plataforma de negócios que reúne em três dias, os principais players do setor com o objetivo de fomentar negócios e parcerias e dar suporte ao desenvolvimento e aprimoramento tecnológico dos setores que congrega. Em sua última edição, reuniu mais de 600 marcas expositoras de 25 países e atraiu 48 mil visitantes. Em 2016, a Intermodal acontece entre os dias 5 e 7 de abril, das 13h às 21 horas, no Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP).

Sobre a UBM Brazil - www.ubmbrazil.com.br
A UBM é líder global em mídia de negócios e segunda maior organizadora de eventos no mundo, com expertise reconhecida em promover e incentivar o networking e os negócios entre empresas dos mais diversos segmentos de mercado. Presente em 20 países, nos cinco continentes, com 5.000 funcionários, atuando em dezenas de setores que vão da alta tecnologia à moda e ao setor de saúde. Conecta profissionais dos diversos segmentos da indústria, tais como Construção Civil, Transporte de Carga, Logística e Comércio Internacional, Portos, Terminais e Armazéns, Tecnologia e Eletrônica, Indústria Médica e Farmacêutica, Ingredientes Alimentícios, Metroferroviária e Naval. Saiba mais: ubmbrazil.com.br




 



Copyright © Syndarma, 2010.

 

Rua Visconde de Inhaúma, 134 - Grupo 1005 • Centro - Rio de Janeiro - RJ • Brasil - CEP: 20091-901 • Tel: (21) 3232.5600 • Fax: (21) 3232.5619 • e-mail: syndarma@syndarma.org.br

Produzido por Themaz Comunicação.