» Home
» Busca (notícias)
09/10/2015 - Projeto MUNIN

O Projeto MUNIN - Navegação Marítima não Tripulada através da Inteligência em Redes

Tradução livre

O MUNIN � um acr�nimo de Maritime Unmanned Navigation through Intelligence in Networks. Além disso, também representa uma figura da antiga mitologia n�rdica. Aqui o corvo Munin voou ao redor do mundo de forma independente, todos os dias, para reunir informações para seu mestre, o Deus n�rdico Odin. � noite, ele iria entregar a informação - a sua carga - com segurança e de forma autônoma,  onde quer que seu mestre estivesse localizado. O conceito de um navio autônomo, desenvolvido no projeto MUNIN, deve, figurativamente, agir como o corvo Munin: de forma independente e com segurança, levando a carga para o seu destino pretendido.

O projeto MUNIN � Navegação Marítima não Tripulada através da Inteligência em Redes - � um projeto de pesquisa colaborativo e cofinanciado pela Comissão Europeia, no âmbito do seu Sétimo Programa Estrutural. O MUNIN pretende desenvolver e verificar um conceito para um navio autônomo, definido como um navio guiado principalmente por sistemas automáticos de decisões a bordo, mas controlado por um operador remoto, em uma estação de controle em terra.

Dentro do MUNIN, um consórcio de oito parceiros, liderados pelo Fraunhofer CML, com formação científica e industrial, vai refletir sobre os aspectos operacionais, técnicos e jurídicos relacionados com a visão de um navio autônomo. Serão desenvolvidas e verificadas soluções para um passadiço e uma praça de máquinas autônomas, um centro de operação em terra e uma arquitetura de comunicação ligando a embarcação e um operador em terra. Além deste objetivo de longo prazo - um navio autônomo, o MUNIN também irá fornecer vantagens de eficiência, de segurança e de sustentabilidade para as embarcações existentes, em curto prazo. Isto inclui, por exemplo, a otimização ambiental, novos conceitos operacional e de manutenção, bem como melhores aplicações para os passadiços.

Embarcações autônomas e não tripuladas são vistas como um elemento-chave para uma indústria marítima europeia competitiva e sustentável no futuro. O projeto de pesquisa MUNIN contribuirá para a realização da visão de embarcações autônomas e não tripuladas, através do desenvolvimento e da verificação de um conceito para o navio autônomo.

O Volume do comércio marítimo deve aumentar no futuro e, consequentemente, o número de navios necessários para o transporte vai crescer, bem como o número de marítimos exigidos para operar os navios. Ao mesmo tempo, já hoje o transporte marítimo europeu enfrenta uma falta de pessoal. Uma razão frequentemente citada para isso reside na falta de atratividade das profissões marítimas, especialmente para os jovens. Em certa medida, isso � causado por problemas inerentes � navegação, como a falta de aceitação da família e do elevado grau de isolamento do convívio social que vem junto com o trabalho em um navio no mar. A tendência atual, com respeito a velocidades mais lentas dos navios, justificadas por considerações ecológicas e econômicas, aumenta o período da viagem e o tempo gasto pelo marítimo no mar.

Aqui, o navio autônomo não tripulado representa uma maneira de sair do impasse de uma escassez da oferta de marítimos, devido � falta de atratividade percebida do trabalho, e a uma crescente demanda por marítimos, causada pela redução de velocidade e pelo aumento do volume de transporte. Por um lado, poderia reduzir a pressão esperada no mercado de trabalho por marítimos, pois permitiria, pelo menos em parte, reduzir a intensidade de trabalho da operação do navio. Por outro lado, as tarefas de rotina a bordo seriam automatizadas e apenas a exigente, mas interessante, navegação e os trabalhos técnicos seriam transferidos do navio para um centro de operação em terra, transformando o trabalho marítimo mais atrativo e mais aceito, do que � hoje, pela família. Além disso, os benefícios econômicos e ambientais também são esperados na implementação do transporte marítimo não tripulado.

Mesmo que seja duvidoso que os navios mercantes não tripulados serão uma realidade a curto prazo, o conceito de um navio autônomo fornece uma importante via para um desenvolvimento sustentável do transporte marítimo. O principal objetivo do projeto MUNIN será o de mostrar a viabilidade de um navio autônomo e não tripulado. Além disso, o projeto também tem como objetivo desenvolver os componentes individuais do navio autônomo, de uma maneira que eles possam ser adaptados para os navios existentes, melhorando assim o seu desempenho técnico ou o da navegação, no curto prazo.

O projeto MUNIN � composto por dez pacotes de trabalhos individuais. As partes centrais científicas e técnicas do projeto serão:

- desenvolver uma arquitetura de TI viável e útil para a operação autônoma;
- analisar as tarefas executadas no passadiço de hoje e obter um conceito para um passadiço autônomo;
- examinar as tarefas relacionadas com o sistema técnico de um navio e desenvolver um conceito para a operação autônoma da praça de máquinas;
- definir os processos de operação de um centro em terra requerido para permitir um controle remoto do navio;
- validar a viabilidade das soluções desenvolvidas combinadas no conceito de uma embarcação autônoma e não tripulada; e
- identificar e examinar os obstáculos legais e de responsabilidade para os navios não tripulados.

O conceito de um navio não tripulado e autônomo que � desenvolvido no projeto MUNIN contribui para todos os aspectos do transporte aquaviário sustentável, permitindo:

- o transporte economicamente sustentável, devido � redução do custo da tripulação, �s velocidades mais lentas e � operação mais eficiente de navios; � o transporte ecologicamente sustentável, facilitando uma implantação mais ampla de redução de velocidade e operação mais eficiente de navios; e
- o transporte socialmente sustentável, aumentando significativamente a compatibilidade social e a atratividade das profissões marítimas e afetando positivamente a segurança do transporte marítimo.

A contribuição mais óbvia no sentido de transporte aquaviário sustentável associado com o conceito � em termos econômicos. O MUNIN centrar� a sua pesquisa na área do comércio de carga. Aqui, os custos de tripulação normalmente representam mais de 30% do total dos custos de operação do navio e cerca de 10% das taxas médias de viagem. Assim, o transporte marítimo não tripulado, ou pelo menos parcialmente não tripulado, neste segmento de mercado, traz consigo um potencial significativo de redução de custos. Além disso, as velocidades mais lentas dos navios se tornam economicamente viáveis se os custos de tripulação puderem ser reduzidos. O raciocínio por três disso � o seguinte: a redução da velocidade da embarcação de 16 para 11 nós, por exemplo, traz economia de combustível de cerca de 50% por distância navegada. No entanto, uma velocidade reduzida também resulta em um tempo de viagem mais longo. Como resultado, entre outros, os custos do frete e da tripulação aumentam por viagem, os quais, em algum momento, são compensados devido ao menor consumo de combustível. Se o custo da tripulação puder ser reduzido com a introdução de navios não tripulados, isso também vai permitir a minimização dos custos totais da viagem pela redução da velocidade do navio.

http://www.unmanned-ship.org/munin/




 



Copyright © Syndarma, 2010.

 

Rua Visconde de Inhaúma, 134 - Grupo 1005 • Centro - Rio de Janeiro - RJ • Brasil - CEP: 20091-901 • Tel: (21) 3232.5600 • Fax: (21) 3232.5619 • e-mail: syndarma@syndarma.org.br

Produzido por Themaz Comunicação.